Gamificação, mais psicologia do que estratégia.

CONCEITO DE GAMIFICAÇÃO

 A gamificação pode gerar um verdadeiro engajamento em programas de relacionamento, além disso, está presente em nossas vidas e talvez nem percebemos. Alguns exemplos de estratégias de gamificação são:

  • Quando se faz um cadastro de e-mail e o site sugere customizar o avatar, colocando uma foto e outras informações pessoais;
  • Quando um programa de milhagens desafia a atingir determinado objetivo, seja por meio de uma compra adicional ou responder uma pesquisa satisfação;
  • Quando se avalia um serviço em um site de recomendações e, por realizar essa ação, o programa concede alguma nota (rating positivo com estrelinhas ou medalhas virtuais).

Nesse contexto, podemos dizer que a gamificação não é apenas criar ou estimular a participação em games, mas sim implementar táticas, mecânicas que são usadas em jogos para influenciar o comportamento das pessoas em uma série de atividades diferentes, presentes em nosso cotidiano.

Assim, utilizar estratégias de gamificação nas empresas pode contribuir para:

  • Melhorar o conhecimento sobre os públicos com os quais o negócio se relaciona (interno e externo);
  • Aumentar a interação com a empresa, entre times e entre os colaboradores em geral;
  • Estimular a competição saudável, a busca por superação e o reconhecimento interno;
  • Facilitar o engajamento em atividades e ações pré-estabelecidas;
  • Acionar comportamentos desejados (ou mesmo mudar atitudes) para atingir metas específicas de forma intuitiva, dinâmica e envolvente;

Essas ações geram oportunidades de crescimento (tanto para quem participa quanto para quem aplica técnicas de gamificação) e de alcançar objetivos e melhorar o retorno do investimento aplicado em programas de relacionamento, incentivo e fidelização.

ESTRATÉGIAS DE GAMIFICAÇÃO

 Para que as estratégias de gamificação aplicadas em um programa de relacionamento possam gerar resultados positivos é fundamental identificar o que chamamos de gatilhos psicológicos, para aumentar as chances de engajar as pessoas no que você deseja que elas façam.

No caso do uso das estratégias de gamificação em programas de incentivo e relacionamento, por exemplo, a proposta maior é manter uma competitividade saudável, de preferência aliada a um espírito colaborativo onde todos possam ganhar de algum modo. Dessa forma, conseguimos que os participantes se sintam engajados e motivados a interagir com o programa e entre si, e também a cumprir as atividades propostas. Desse modo, os comportamentos estimulados devem ser mais voltados aos perfis dos conquistadores e exploradores.

Além de entender um pouco sobre os estilos de jogadores, existem estratégias com base em recursos aplicados em games usadas para estimular o engajamento dos participantes que devem ser consideradas ainda na fase de planejamento dos programas de relacionamento e incentivo. Segue algumas das estratégias:

Desafios, metas e missões (challenges, levels) – Os desafios, metas e missões (ou a associação dos três) são importantes para garantir o engajamento do participante pelo maior tempo possível, de modo que se sinta atraído a cumprir as atividades que lhe são atribuídas.

Rankings, placares em geral (leader boards) – O engajamento também pode ser estimulado por meio da criação de leader boards, rankings, enfim, placares nos quais sejam apresentadas as melhores pontuações. Isso pode ser um motor para incentivar uma competição saudável e, desse modo, aumentar  participação.

Barra de progresso (progress bar) – Dispositivo criado para mostrar ao usuário seu progresso (avanço ou evolução). O desejo em resolver as questões e desafios que lhe foram dados pode ser útil para estimular o engajamento e incentivar sua participação em longo prazo.

Conquistas, medalhas, certificações (achievements e badges) – Quando mencionamos os exemplos do Duolingo e da Pandora, falamos brevemente sobre a importância em fornecer recompensas para os participantes como uma forma para reter sua atenção e participação. Ainda que não sejam prêmios reais, essas modalidades de reconhecimento virtual incentivam a competitividade dos participantes para que cumpram as tarefas pré-determinadas e se sintam incentivados a alcançar suas metas.

No caso do engajamento voltado para os negócios, uma estratégia interessante para motivar sua equipe é apostar também em recompensas reais. De preferência, personalizadas, levando em consideração os perfis e desejos dos participantes.

RECOMPENSAS DA GAMIFICAÇÃO

 Estimular a participação por meio da gamificação pode ser fácil. Porém, para que haja continuidade no engajamento, é preciso pensar nas recompensas que serão disponibilizadas quando o participante alcançar suas metas.

Antes de falar sobre os tipos de premiações que podem ser aplicadas, um fator importante a ser considerado é o perfil do usuário. Para empresa estimular determinados tipos de comportamento, deve conhecer quem está por trás das telas.

Conhecer as pessoas ajudará, a escolher quais recompensas serão utilizadas, já que o que funciona para um pode não ser útil para o outro. E no final das contas, engajar todos os participantes ajudará o negócio a alcançar os objetivos de forma eficiente, além de beneficiar a equipe inteira.

Conhecer as pessoas ajudará, inclusive, a escolher quais recompensas serão utilizadas, já que o que funciona para um pode não ser útil para o outro. E no final das contas, engajar todos os participantes ajudará o negócio a alcançar os objetivos de forma eficiente, além de beneficiar a equipe inteira.

Ainda que as recompensas com base nessas modalidades funcionem, se utilizadas de forma repetida e recorrente, perdem seu valor. Por isso a importância em inovar nas premiações e descobrir o que pode impactar, de fato, a vida dos participantes.

Nesse sentido, oferecer recompensas personalizadas pode marcar a trajetória dos participantes de tal forma que se sintam valorizados. É preciso mostrar o valor que a pessoa tem no desenvolvimento do seu negócio.

 

 

Leave a Comment